23 de set de 2013

PENSANDO A DEFESA CIVIL

 Os recentes vendavais e chuvas de granizo aqui na região oeste do Paraná, aponta a necessidade em  se aprofundar a consciência e a cultura de prevenção de riscos.
É recorrente nesta época do ano em nossa região essas espécies de situações. Não podemos mais dizer que são imprevisíveis. Talvez teremos este ano algumas repetições, e certamente no ano que vem um ou outro lugar vai ser atingido.
 O que estamos vendo em cidades como Corbélia, agora, é a mobilização para enfrentar os efeitos causados pela chuva com granizo. As perguntas são: Poderia ser evitada a situação? Poderia ter sido diminuido o prejuízo? A resposta é não e sim. Mandar nas forças da natureza é praticamente impossível. Mas evitar a amplitude dos danos sim.
 A imprensa noticiou pessoas alegando perda de móveis pela chuva, sem roupa para vestir por estarem molhada, sem alimentos, dificuldade de recompor a cobertura da casa, etc. Medidas simples poderiam mitigar esse sofrimento, dando tempo ao morador para buscar solucionar problemas de maiores vultos. Exemplificando: Se ele tivesse pequenos pedaços de lonas plásticas e imediatamente cobrisse seu guarda-roupas, provavelmente não perderia o móvel e teria roupas secas. Com tal medida não teve maiores problemas e ele pode então pensar em como resolver o problema da cobertura da casa, vidraças, etc. isso só quando chegar a calmaria. Do contrário, terá que na calmaria, por a roupa para secar e só depois ir resolver o problema da casa, e, comprar novo guarda-roupa, com apliação do seu prejuízo.
 Esse pequeno exemplo, mostra que tais situações só se soluciona com a população tendo absorvido tais ensinamento. É a cultura de prevenção de riscos. Cultura, só se difunde pelo ensinamento, pela educação. Esse é um dos papéis dos núcleos de defesa civil.
Pense nisso! Forme seu núcleo de defesa civil. O NUDEC-Com está pronto para auxiliá-lo.
 
Adir Luiz Colombo
Radioamador PU5POP
Coordenador do NUDEC-Com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário